.

sábado, 31 de julho de 2010

O problema da comunicação



Há alguns dias atrás, ao voltar do meu trabalho, vim pensando em algumas coisas, entre elas na comunicação.
Não estou falando de mídia e propaganda comercial, ou telecomunicações (apesar da imagem deste post).
Comecei a imaginar como a vida seria mais simples se nós (indivíduos de uma sociedade) nos comunicássemos com qualidade.
Se dentro dos lares, nós esposos, soubéssemos ouvir mais nossas esposas e vice-versa. Se os filhos ouvissem mais seus pais e, por sua vez, os pais se esforçassem para compreender melhor seus filhos.
Estamos perdendo terreno para a tal da “globalização,” onde o superficial ocupa o lugar do necessário, onde o virtual assume a vida cotidiana e se perde o tradicional “olho no olho” (não ignorando a importância da tecnologia atual).
Ontem à noite, estava cheio de sono, mas, meu filho Matheus de 11 anos de idade, gosta de assistir filmes em família. Então, fiz um esforço; meio que “cochilando,” consegui chegar ao final. Alguns momentos de diálogo e de convivência familiar, que com certeza fazem a diferença. Foi ótimo para nós dois!
Estamos nos esquecendo, mas existem ainda coisas simples que nos farão sentir- nos melhor.
Por exemplo: Colher fruto maduro do pé, molhar os pés na água do mar, andar descalço na praia, procurar um amigo que não vê há muito tempo, etc.
Pense em coisas boas! Reflita sobre a bênção de estar vivo!
Pense em Deus o teu criador, e não se esqueça: Pratique o “olho no olho”, se comunique mais e com qualidade.
Um abraço,
Fabio Mendonça.